11 de dezembro de 2015

Então eu lavei o rosto e, com a água, veio a solução. O medo existirá sempre. Tenho que me moldar, me adaptar, me acostumar. E ir andando. O mundo nunca vai me ceder o lugar. Ele roda e roda que nem disco na vitrola. Mas é preciso aprender a ouvir a música que está rodando com ele…mesmo que esteja um silêncio total. Não pode pedir licença. Seja mal educado pelo menos uma vez. Apenas vá. Vá e não pense.

2 comentários:

Pedro Sampaio disse...

Um post que faz refletir. Beijinho :)

Marta Moura disse...

:)